segunda-feira, dezembro 18Curta nossa página no facebook!

Netflix sofre boicote e é acusada de ser “racista” com os brancos

Na última quarta feira (8), a Netflix divulgou o trailer de sua nova série, que abordará temas raciais. Com uma duração de pouco mais do que 30 segundos, o trailer apresenta uma jovem negra dizendo que pessoas brancas devem evitar ações racistas, como a prática do blackface – quando uma pessoa branca se caracteriza como um negro fazendo o uso de estereótipos depreciativos sobre afrodescendentes. Aparentemente, a mensagem anti-racismo divulgada pelo trailer incomodou muitas pessoas. 

Acusando a Netflix de “racismo inverso” ou “racismo contra brancos”, diversos usuários do serviço de streaming cancelaram as assinaturas por não aceitarem o conteúdo da série Dear White People, que, em 10 episódios, faz uma adaptação do aclamado filme “Cara Gente Branca“, de 2014.

O boicote foi proposto por Tim Treadstone, ex-redator do Buzzfeed, que possui mais de 140 mil seguidores no Twitter e é um dos representantes da alt-right, um grupo de militantes de extrema direita cujo discurso é, quase sempre, associado a mensagens antissemitas, antifeministas e a favor da supremacia branca.

Treadstone, em seu Twitter, informou que estava cancelando sua assinatura acusando a Netflix de “racismo branco“, conseguindo vários adeptos à sua causa.”A Netflix anunciou uma série anti-brancos (Dear White People) que promove o genocídio branco. Eu cancelei minha conta. Faça o mesmo”.

O longa Cara Gente Branca, aclamado pelo público e premiado no festival de Sundance de 2014, trata da história de um grupo de alunos negros, de origem humilde, de uma universidade que possui a maior parte de alunos caucasianos e ricos. Os afro-americanos se revoltam com as atitudes dos brancos quando eles decidem não haver problema em debochar da cor de pele e do fenótipo negro em fantasias de Halloween.

 

O diretor do filme e produtor executivo da série, Justin Simien, comentou o boicote que foi proposto por Treadstone: “Para mim, estranhamente, isso foi profundamente encorajador. Isso trouxe mais atenção para a série. Obrigado, supremacistas brancos, vocês me ajudaram a promover meu show”, disse o cineasta em entrevista para o site Entertainment Tonight.

Na sua página do Facebook, Justin prosseguiu com a argumentação e alegou ter recebido mensagens racistas de pessoas associadas ao boicote, sendo chamado de “macaco” e lido que “deveria calar a boca e voltar para a África”.

“Ver que as pessoas se sentem tão ameaçadas por um vídeo que anuncia a data de lançamento de uma série e mostra uma mulher negra (educadamente) pedindo para não ser ridicularizada mostra claramente o motivo de eu ter feito esta série”, disse o diretor. “Eu quero que aqueles que são tradicionalmente invisíveis na cultura pop comecem a serem vistos. E quero que aqueles que estão dispostos a estender sua empatia para experiências diferentes e entendam mais profundamente a humanidade dessa pessoas [os alunos negros retratados na trama].”

No YouTube, o vídeo com o teaser da série foi visto mais de 3 milhões de vezes desde quarta-feira e vem recebendo uma enxurrada de avaliações negativas. Mais de 320 mil usuários marcaram o vídeo com um “não gostei” contra 35 mil que avaliaram o vídeo com um “gostei”.

Nós, do Pauta Nerd, aprovamos a atitude do diretor, Justin Simien, e aguardamos ansiosamente pela estréia da série. E você, vai assistir? Conta pra gente aqui nos comentários e não deixe de curtir nossa página no Facebook.